LGPD nas empresas B2B

post 8-7
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Muitas empresas caem no erro de concluir que: “como a LGPD protege dados pessoais de pessoas físicas e o meu negócio só envolve pessoas jurídicas, não necessito de um plano de adequação.”

As empresas B2B (business to business), apesar de ter outras empresas como consumidoras finais de seus produtos e serviços, necessitam SIM se adequar às normas da LGPD.

Suas atividades essenciais de negócio, em algum momento, envolvem algum tipo de tratamento de dado pessoal. Um exemplo claro é a relação de trabalho estabelecida entre a empresa e seus funcionários: desde a fase de contratação até depois da demissão, dados pessoais de colaboradores são coletados e armazenados. E todo esse ciclo de tratamento possui um regramento específico que deve ser seguido, sob pena de multas e de responsabilização judicial, nos moldes previstos na LGPD.

Mas, muito além da LGPD, a legislação brasileira possui regras de governança de dados, privacidade e confidencialidade, os quais também objetivam assegurar os segredos comercial e industrial.

Sendo assim, fique atento:

Um plano de adequação próprio e específico para negócios dessa natureza, confere proteção – desde o segredo comercial e industrial até multas e sanções envolvendo proteção de dados – e acrescenta um pilar de estabilização nas relações comerciais.

 

Maria Gabriela Basso Rizzotto – Advogada em Proteção de Dados

Acompanhe nossas redes sociais↓

 

LinkedIn  |  Instagram   |   Facebook

Controle de Processos
Usuário:
Senha: